Image and video hosting by TinyPic
Mostrando postagens com marcador Religião. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Religião. Mostrar todas as postagens

Papa pede maior compreensão com famílias não tradicionais

O Papa Francisco pediu mais compreensão com relação às famílias não tradicionais no documento “A Alegria do Amor”, que foi divulgado nesta sexta-feira (8). Ele pediu aos sacerdotes de todo o mundo aceitar gays e lésbicas, divorciados católicos e outras pessoas que vivem em situações que a igreja considera "irregulares".
O texto "Amoris Laetitia" (em latim), que tem 256 páginas, traz as conclusões de dois sínodos (reuniões) sobre a crise da família, realizados em outubro de 2014 e outubro de 2015, e representa uma mudança uma vez que reconhece as numerosas razões pelas quais os casais, segundo o contexto social e cultural, decidem conviver.
O pontífice diz que a igreja não deve continuar a fazer julgamentos e “atirar pedras” contra aqueles que não conseguem viver de acordo com ideais de casamento e vida familiar do Evangelho, destacou a Associated Press.
No entanto, o documento rejeita "os projetos de equiparação das uniões entre pessoas homossexuais com o matrimônio". "Não existe nenhum fundamento para assimilar ou estabelecer analogias, nem mesmo remotas, entre as uniões homossexuais e o desígnio de Deus sobre o matrimônio e a família", diz o texto, segundo relato da France Presse.
"É inaceitável que as Igrejas sofram pressões nessa matéria e que os organismos internacionais condicionem a ajuda financeira aos países pobres à introdução de leis que instituam o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo", afirmou em outro trecho.
“Desejo, antes de mais nada, reafirmar que cada pessoa, independentemente da própria orientação sexual, deve ser respeitada na sua dignidade e acolhida com respeito, procurando evitar qualquer sinal de discriminação injusta e, particularmente, toda a forma de agressão e violência”, afirma o Papa no documento.
O pontífice tem insistido em defender que a consciência individual deve ser o princípio orientador para os católicos para negociar as complexidades do casamento, da vida família e do sexo.
O líder católico pediu à igreja que "valorize" as "uniões de fato" e reconheça os "sinais de amor" entre estes casais e que sejam "acolhidos e acompanhados com paciência e delicadeza", afirmou a France Presse.
"A escolha do matrimônio civil ou, em outros casos, da simples convivência, frequentemente não está motivada pelos preconceitos ou resistências à união sacramental, e sim por situações culturais ou contingentes. Nestas situações, poderão ser valorizados aqueles sinais de amor de que, de algum modo, refletem o amor de Deus".
Ainda no capítulo sobre o amor no matrimônio, Francisco fala do "erotismo saudável que, se bem está unido a uma busca do prazer, supõe a admiração e, por isso, pode humanizar os impulsos".










Papa Francisco, em imagem de arquivo, durante cerimônia no Vaticano em 3 de março de 2015 (Foto: Max Rossi/ Reuters)


Divorciados
O Papa Francisco já tinha dado várias declarações que indicavam uma maior abertura. Em agosto do ano passado, ele já tinha pedido para que os fiéis divorciados fossem acolhidos e não tratados como excomungados.
No documento "A Alegria do Amor", o Papa estende a mão aos divorciados que voltam a se casar e convida a igreja a "fazê-los sentir que são parte da Igreja" e recorda que "não estão excomungados", segundo a France Presse.
"Estas situações exigem um atento discernimento e um acompanhamento com grande respeito, evitando qualquer linguagem e atitude que faça com que sintam-se discriminados, promovendo sua participação na vida da comunidade", escreveu o Papa.
O Pe. José Eduardo Oliveira, que é doutor em Teologia pela Pontifícia Universidade da Santa Cruz e sacerdote da diocese de Osasco, na Grande São Paulo, explica, no entanto, que embora o documento fale em acolhida dos divorciados, não menciona se eles poderão voltar a comungar.
Os casos devem ser analisados a partir de normas já estabelecidas anteriormente."Não existe uma normativa geral de tipo canônica aplicável a todos os casos", diz o documento.
“É preciso analisar cada caso e existem algumas situações em que documentos anteriores, como o Familiaris Consortio [de novembro de 1981], do do Papa João Paulo II, já prevê alguns casos de divorciados que voltaram a casar podem voltar à comunhão desde que vivam a castidade conjugal”, explicou o padre.
Realidades locais
O documento afirma que na Igreja é necessária uma unidade de doutrina e de praxe, mas isso não impede que subsistam diferentes maneiras de interpretar alguns aspectos da doutrina ou algumas consequências que derivem dela. "Em cada país ou região, é preciso buscar soluções mais culturalistas, atentas às tradições e aos desafios locais", segundo a France Presse.

Revolucionário?
A CNN afirma que o documento tem muitos elementos para agradar liberais e conservadores, o que faz com que ele tenha um alcance limitado.
Para o padre José Eduardo Oliveira o documento não é revolucionário do ponto de vista doutrinal, mas “do ponto de vista pastoral pode ser”. “Qualquer análise que queira colocar o documento no jogo de disputa entre liberais e conservadores, é muito reducionista. Acho que esse documento tira todo mundo da sua zona de conforto”, afirmou.
Para o padre, o documento representa um avanço. “O Papa não fica em um discurso teórico, ele analisa os problemas que as famílias enfrentam no mundo de hoje e mostra a necessidade de acompanhar essas famílias. Nesse sentido é um avanço”, afirmou o padre.
"Durante muito tempo acreditamos que apenas insistindo em questões doutrinais, bioéticas e morais (...) sustentaríamos suficientemente as famílias, consolidaríamos o vínculo dos esposos e encheríamos o sentido de suas vidas compartilhadas", diz o documento.

Hillsong, a igreja evangélica hipster chega ao Brasil

Por Zém - De jeans rasgados na altura dos joelhos, jaqueta de couro justa ao corpo e corte de cabelo undercut, o pastor Chris Mendez discursou em São Paulo para centenas de fiéis.
Todos pareciam ter grande interesse em fazer parte de uma das igrejas evangélicas de maior ressonância e descoladas do momento: a australiana Hillsong Church.
A Hillsong é uma igreja presente em 15 países. A filial brasileira está programada para ser inaugurada em setembro e é a segunda unidade da entidade na América do Sul. No fim de 2015, ela passou a operar em Buenos Aires (Argentina).
Igreja HillsongChris Mendez"Queremos trabalhar juntos para conquistar esta cidade, este país e este continente para a glória de Deus, amém!", disse na ocasião o pastor Mendez (acima), que é filho de argentinos. Ele é o responsável pela implementação da igreja em território sul-americano.
"Ainda estou buscando o lugar ideal para a Hillsong São Paulo. Por causa do nosso estilo como igreja, provavelmente será um teatro com palco, telões e jogo de luzes", conta à BBC Brasil o pastor, que até agora já visitou mais de 25 teatros na capital paulista.
Igreja Hillsong 1A caça pelo lugar perfeito, que suporte uma performance digna de grandes astros da música, não é aleatória já que os cultos têm formato de show de pop/rock. A música é a principal vitrine da igreja.
Fenômeno gospel mundial, a Hillsong também é um selo musical altamente lucrativo e de alcance mundial. As canções gravadas por suas quatro bandas (Hillsong Worship (confira vídeo no final), Hillsong United, Young & Free e Hillsong Kids) já ultrapassaram a marca de 16 milhões de álbuns vendidos.
85731392Nas filiais espalhadas pelo mundo, é comum encontrar personalidades famosas, como a modelo Kendall Jenner (primeira foto abaixo), a cantora e atriz Vanessa Hudgens e o músico Nick Jonas. Mas ninguém elevou tanto a popularidade da Hillsong nos últimos meses quanto o cantor pop Justin Bieber.
"Quero conhecer Jesus", pediu o ídolo aos prantos ao amigo Carl Lentz (abaixo), o pastor de braços tatuados que anda por Nova York ostentando grifes de luxo, como Saint Laurent. Momentos depois, Bieber foi batizado, na banheira do jogador de basquete Tyson Chandler. Fonte: UOL
Kendall Jenner - Hillsong
Rebel Pastor
Hillsong Church

12 de outubro - Nossa Senhora da Conceição Aparecida

No dia 12 de outubro, comemoram-se três datas, embora poucos lembrem-se de
todas elas: Nossa Senhora Aparecida, padroeira oficial do Brasil, o Dia das Crianças e o Descobrimento da América. Nosso feriado nacional, no entanto, deve-se somente à primeira data, e, embora a devoção à santa remonte aos idos do século XVIII, só foi decretado em 1980.
Há duas fontes sobre o achado da imagem, que se encontram no Arquivo da Cúria Metropolitana de Aparecida e no Arquivo Romano da Companhia de Jesus, em Roma.
Segundo estas fontes, em 1717 os pescadores Domingos Martins García, João Alves e Filipe Pedroso pescavam no rio Paraíba, na época chamado de rio Itaguaçu. Ou melhor, tentavam pescar, pois toda vez que jogavam a rede, ela voltava vazia, até que lhes trouxe a imagem de uma santa, sem a cabeça. Jogando a rede uma vez mais, um pouco abaixo do ponto onde haviam pescado a santa, pescaram, desta vez, a cabeça que faltava à imagem e as redes, até então vazias, passaram a voltar ao barco repletas de peixes. Esse é considerado o primeiro milagre da santa. Eles limparam a imagem apanhada no rio e notaram que se tratava da imagem de Nossa Senhora da Conceição, de cor escura.
Durante os próximos 15 anos, a imagem permaneceu com a família de Felipe
Pedroso, um dos pescadores, e passou a ser alvo das orações de toda a comunidade. A devoção cresceu à medida que a fama dos milagres realizados pela santa se espalhava. A família construiu um oratório, que, logo constatou-se, era pequeno para abrigar os fiéis que chegavam em número cada vez maior. Em meados de 1734, o vigário de Guaratinguetá mandou construir uma capela no alto do Morro dos Coqueiros para abrigar a imagem da santa e receber seus fiéis. A imagem passou a ser chamada de Aparecida e deu origem à cidade de mesmo nome.
Em 1834 iniciou-se a construção da igreja que hoje é conhecida como Basílica Velha. Em 06 de novembro de 1888, a princesa Isabel visitou pela segunda vez a basílica e deixou para a santa uma coroa de ouro cravejada de diamantes e rubis, juntamente com o manto azul. Em 8 de setembro de 1904 foi realizada a solene coroação da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida e, em 1930, o papa Pio XI decreta-a padroeira do Brasil, declaração esta reafirmada, em 1931, pelo presidente Getúlio Vargas.
A construção da atual Basílica iniciou-se em 1946, com projeto assinado pelo
Engenheiro Benedito Calixto de Jesus. A inauguração aconteceu em 1967, por ocasião da comemoração do 250.º Aniversário do encontro milagroso da imagem,
ainda com o templo inacabado. O Papa Paulo VI ofertou à santa uma rosa de ouro, símbolo de amor e confiança pelas inúmeras bênçãos e graças por ela concedidas. A partir de 1950 já se pensava na construção de um novo templo mariano devido ao crescente número de romarias. O majestoso templo foi consagrado pelo Papa, após mais de vinte e cinco anos de construção, no dia 4 de julho de 1980, na primeira visita de João Paulo II ao Brasil.
A data comemorativa à Nossa Senhora Aparecida (aniversário do aparecimento
da imagem no Rio) foi fixada pela Santa Sé em 1954, como sendo 12 de outubro, embora as informações sobre tal data sejam controversas. É nesta época do ano que a Basílica registra a presença de uma multidão incontável de fiéis, embora eles marquem presença notável durante todo ano.
A imagem encontrada e até hoje reverenciada é de terracota e mede 40 cm de
altura. A cor original foi certamente afetada pelo tempo em que a imagem esteve mergulhada na água do rio, bem como pela fumaça das velas e dos candeeiros que durante tantos anos foram os símbolos da devoção dos fiéis à santa. Em 1978, após o atentado que a reduziu a quase 200 pedaços, ela foi reconstituída pela artista plástica Maria Helena Chartuni, na época, restauradora do Museu de Arte de São Paulo. Peritos afirmam que ela foi moldada com argila da região, pelo monge beneditino Frei Agostinho de Jesus, embora esta autoria seja de difícil comprovação.
Seja qual for a autoria da imagem ou a história de sua origem, a esta altura ela pouco importa, pois as graças alcançadas por seu intermédio têm trazido esperança e alento a um sem número de pessoas. Se quiser saber mais detalhes sobre a Basílica e sua programação, visite o site www.santuarionacional.com.br, no qual também é possível acender uma vela virtual. E já que a fé, assim como a internet, não conhece fronteiras, eu já acendi a minha, por um mais paz e igualdade no mundo. Acenda a sua e que
Nossa Senhora Aparecida nos ouça e ilumine o mundo, que está precisando tanto de cuidados.
Além da farta pescaria, muitos outros milagres são atribuídos à Nossa Senhora Aparecida. Veja alguns abaixo:
A libertação do escravo Zacarias
O escravo Zacarias havia fugido de uma fazenda no Paraná e acabou sendo
capturado no Vale do Paraíba. Foi caçado e capturado por um famoso capitão
do mato e, ao ser levado de volta, preso por correntes nos pulsos e nos pés,
e como passassem perto da capela da Santa, pediu permissão para rezar diante
da imagem. Rezou com tanta devoção que as correntes milagrosamente se
romperam, deixando-o livre. Diante do ocorrido, seu senhor acabou por
libertá-lo.
O cavaleiro ateu
Um cavaleiro que passava por Aparecida, vendo a fé dos romeiros, zombou
deles e tentou entrar na igreja a cavalo para destruir a imagem da santa. Na
tentativa, as patas do cavalo ficaram presas na escadaria da igreja. Até
hoje pode-se ver a marca de uma das ferraduras em uma pedra, na sala dos
milagres da Basílica Nova.
A cura da menina cega
Uma menina cega, ao aproximar-se, com a mãe, da Basílica, olhou em direção a
ela e, de repente, exclamou "Mãe, como aquela igreja é bonita." Estava
enxergando, perfeitamente curada.

Baseado no artigo de Márcia Busanello
Fonte: site Ao Mestre Com Carinho -
 www.aomestrecomcarinho.com.br

A importância da religião


Hoje em dia a religião é encontrada em todo o mundo, sendo que milhões e milhões de pessoas são adeptas a uma religião e professam sua fé de acordo com suas crenças, e existem também muitas pessoas que não possuem crença religiosa, são os chamados “ateus”, que além de não acreditarem, muitas vezes acabam criticando os que creem.
Estudos comprovam que pessoas religiosas, que acreditam fielmente em Deus, têm uma qualidade de vida melhor, ou seja, pessoas que são religiosas e fazem da religião um ato de vivência possuem um lado do cérebro mais desenvolvido, isto oferece maior conforto de vida, menos preocupações o que na soma dos resultados acaba lhe oferecendo mais tempo de vida.

A ciência conseguiu provar, através de pesquisas feitas com pessoas religiosas e não religiosas e esta diferença  é notada através de imagens tridimensionais do cérebro, o que comprova que este estudo é sim verídico e que também a religião não faz bem apenas para a alma e o interior, reflete inclusive na vida, fisicamente falando.
Além desta qualidade e vantagem de vida, é  muito importante também a pessoa ter religião, pois é através dela que ela demonstrar acreditar em Deus, demonstra que existem muito mais entre o céu e a terra do que nós mortais conseguimos enxergar, além é claro de que a religião trás um maior conforto, mais esperança e alegria na vida.


Se você não acredita em nenhuma religião, procure se informar sobre os fatos existentes sobre ela, não julgue uma religião por atos falhos cometidos por seus representantes, busque na religião nada além de uma resposta que você não pode encontrar em lugar algum, deixe que Deus lhe mostre o caminho ideal para se seguir, mas se mesmo assim você ainda não acredita e não quer acreditar, procure ao menos respeitar as crenças dos que creem, pois, para a vida destas pessoas a qualidade de vida está acima.

Partes de uma missa

Participar de uma missa é uma atividade por milhões e milhões de católicos no mundo todo, afinal de contas a igreja católica é ainda a religião que mais possui adeptos em todo globo terrestre, atraindo assim cada vez mais e mais pessoas, e algumas delas não entendem ao certo cada gesto e cada momento que ocorre durante a celebração, então lhe mostraremos o significado passo a passo de tudo o que ocorre durante uma missa. O primeiro passo de uma missa é o canto de acolhida, onde o padre (sacerdote), ministros da eucaristia, acólitos e demais auxiliares entram em procissão em direção ao altar, onde é realizado a celebração, em volta da mesa. As vestes do sacerdote são importantes para identificá-lo, além das cores significarem a liturgia do dia, por exemplo, vestes verdes simboliza o tempo comum, enquanto vestes roxas são utilizadas durante a quaresma. 
Quando o sacerdote inicia a celebração o primeiro passo é invocar a santíssima trindade (em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo), logo em seguida é hora do ato penitencial, momento em que o sacerdote e todo o povo de Deus fazem seus pedidos de perdão diretamente à Deus, é o primeiro preparo para receber a eucaristia, que é o ponto mais forte da celebração. Após o pedido de perdão, entoa-se o Glória (exceto nas missas da quaresma e do advento) em sinal de glorificar o Senhor por sua bondade infinita e seu perdão aos fiéis concedido através do ato penitencial. Terminado o Glória é hora da primeira oração, onde o sacerdote através de um livro (chamado de missal) ora impondo suas mãos em direção ao povo. Em seguida é hora da liturgia da palavra. 
Na liturgia da palavra lê-se a bíblia em uma ou duas leituras que são feitas através do povo de Deus, e o evangelho é proclamado pelo sacerdote responsável da missa. Logo em seguida ao anúncio do evangelho, o sacerdote profere palavras explicativas para aquilo que acabara de ler, é chamado de homilia e a duração pode ser curta ou extensa, de acordo com os costumes do sacerdote. Terminado a homilia dá-se início as preparações para a comunhão, toda a assembleia levanta-se e reza junto a oração do credo, logo após inicia-se a oração da comunidade e logo em seguida o canto das oferendas, onde o pão e o vinho são postos no altar e apresentados à Deus como forma de oferendas. 
Após o canto, o sacerdote proclama a oração eucarística, em seguida faz a benção das oferendas, transformando pão e vinho em corpo e sangue de Cristo conforme as instruções bíblicas deixadas por Jesus, é o mesmo ato que ocorreu na Santa Ceia, onde Jesus pede aos apóstolos que façam este ato em Sua memória. 
Após a consagração do pão e vinho é a hora da comunhão, onde os fiéis que estejam preparados espiritualmente recebem a hóstia, através dos ministros da Eucaristia e também do Sacerdote, conforme costume em cada paróquia. Ao término da comunhão, o Sacerdote profere outra oração com as mãos impostas sobre os fiéis, agradecendo à Deus pela comunhão. Em seguida são dados alguns avisos e recados da comunidade, logo após é dado a benção final, onde o Sacerdote mais uma vez impõe suas mãos sobre os fiéis fazendo o movimento invocando a benção da Santíssima Trindade sob cada um.

Mas, confiando em Tua Palavra, lançarei a rede de novo.



Pescadores de Homens (Lucas 5:1-11) Temos-nos obrigação de lançar a rede, quer dizer pregar a palavra da promessa. Ser um instrumento na mão de Deus. 

Mas o milagre da salvação só o poder de Deus o todo Poderoso pode fazer. O trabalho importantíssimo de pregar o evangelho ao mundo não terminou com a morte de Jesus e seus apóstolos. 

De fato, Jesus disse que a morte e a ressurreição dele eram apenas uma etapas no plano de Deus para a salvação. Uma outra etapa necessária seria a pregação destas boas novas “a todas as nações, começando de Jerusalém” (veja 24:44-47). Portanto, este trabalho continuará até que o Senhor volte.


Pedro, André, Tiago e João eram pescadores e tinham passado a noite toda pescando. Eles jogavam  suas redes no mar e nada, não conseguiram pescar nenhum peixinho. Jogavam novamente e nada e assim eles passaram a noite toda. Eles lançaram as redes várias vezes, mudaram de lugar e nada! Nenhum peixinho.
-->
Ao amanhecer, provavelmente eles já estavam cansados, desanimados e muito tristes, pois eles e suas famílias viviam da pesca. Como poderiam voltar para casa de mãos vazias?



Os barcos já estavam parados na margem do rio e os pescadores já desceram dos seus barcos  com suas redes vazias e estavam lavando-as se preparando para ir para casa descansar um pouco e voltar a noite para pescar novamente, foi quando eles viram uma multidão se aproximar. enquanto isso Jesus caminha em direção aos pescadores.


Jesus estava caminhando e ensinando a Palavra de Deus. A multidão era tão grande que muitos não podiam vê-lO, nem ouvir direito o que Jesus falava. Jesus, então, viu os barcos parados na margem  do rio e próximos aos barcos Ele pode ver  os pescadores lavando as redes de pesca. 

E assim, Jesus, entrou no barco de Pedro, e  pediu que  ele empurrasse um pouco o barco para que se afastasse da margem. Sentado no barco, Jesus ensinava a multidão. 

Quando Jesus acabou de ensinar, disse para Pedro "Leve o barco para a parte do rio que é bem funda e lance a rede." Pedro respondeu: "Senhor, trabalhamos a noite toda e não pescamos nada. 

Mas, confiando em Tua Palavra, lançarei a rede de novo." Os pescadores lançaram as redes, e quando eles puxaram  tinham tanto peixe que as redes estavam pesadas. Eram tantos peixes que as redes quase arrebentaram. Foi preciso chamar o barco dos outros pescadores para que eles viessem ajudar.

Encheram os dois barcos com os peixes que estavam nas redes.

Como eles ficaram felizes! Agora tinham muitos  peixes e não voltariam para casa de mãos vazias. E vendo este milagre Pedro, ajoelhou-se aos pés de Jesus, e disse: "Senhor, afasta-se de mim, que sou um homem pecador." 


E Jesus respondeu: "Não tenha medo, de agora em diante você será pescador de homens." 

Depois deste milagre, eles, passaram seguir a Jesus e tornaram-se pescadores de homens.



Jesus quer que todos seja pescadores de homens.
Jesus quer que todos seja pescadores de homens.

Via : rio de saude

Total de Visualizações

Anuncios !!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Noset News
Todos os direitos reservados © 2016