Image and video hosting by TinyPic

Contra o impeachment, MTST bloqueia marginais em São Paulo

Manifestantes contrários ao impeachment da presidenta Dilma Rousseff fazem bloqueios em importantes vias da capital paulista, provocando longo congestionamento no início da manhã de hoje (30). Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), as manifestações provocam pelo menos 16,4 quilômetros de lentidão no trânsito.
Um grupo bloqueia totalmente a Marginal Tietê, na altura da Ponte Casa Verde, zona norte, sentido Rodovia Ayrton Senna. O congestionamento estimado é de 4 quilômetros na pista central e 6,8 quilômetros na pista local. Os manifestantes atearam fogo a uma grande quantidade de pneus. O Corpo de Bombeiros combate o incêndio com seis viaturas, que estão no local.
Outro ponto de bloqueio é na Marginal Pinheiros, altura da Ponte Transamérica, zona sul, sentido Rodovia Castello Branco. A lentidão no local é de 5,6 quilômetros. O terceiro local bloqueado pelos protestos é a Avenida Professor Francisco Morato, cruzamento com a Avenida Vital Brasil, zona oeste, em ambos os sentidos.
Ontem (29), policiais utilizaram bombas de efeito moral, gás de pimenta e caminhões de água para dispersar os manifestantes que também protestavam contra o impeachment. Os manifestantes, por sua vez, jogaram lixeiras pelas ruas e as incendiaram. Os organizadores estimaram que 2 mil pessoas participaram ontem do ato.
Da Agência Brasil

Cadelinha resgatada recebe proteção e amor de porca de estimação

Jahaira Zamora não pensou duas vezes em resgatar uma filhotinha de seis semanas que estava abandonada em uma estrada. O cão já parecia desnutrido e estava sem forças para andar. 
A preocupação maior de Jahaira, porém, era como seu outro animal de estimação iria reagir ao ver a cadela, nova integrante da casa. Isso porque seu bicho não é dos mais comuns para se ter em casa: Jahaira tem uma porca chamada Blue. 
Blue, porém, não é um simples animal de estimação. Ela é uma porca de terapia, que visita doentes para ajudá-los a se sentir melhor. 
Por isso, ela é tranquila e sempre serena, apesar de nunca tinha vivido com um cachorro antes. 
Para evitar possíveis conflitos, a família não deixava elas interagirem na primeira semana, mas depois que a cadela, agora nomeada de Peach, se recuperou, o encontro ocorreu. 
E o encontro não poderia ser melhor: a cadelinha se aproximou da porca quando a segunda dormia. Em vez de acordá-la e possivelmente gerar uma confusão, Peach deitou ao seu lado e dormiu. 
Depois disso, as duas se tornaram amigas inseparáveis, com a porca demonstrando até cuidados matriarcais. 
image
image
image
image
image
image
image

Sessão do impeachment entra no terceiro dia com últimas testemunhas; acompanhe ao vivo

Após ouvir cinco depoimentos, o julgamento final do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff entra no seu terceiro dia com os depoimentos do ex-ministro da Fazenda Nelson Barbosa e do professor de direito da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) Ricardo Lodi Ribeiro. Acompanhe ao vivo acima. 
Os dois falarão em defesa de Dilma; Barbosa como testemunha e Lodi Ribeiro como informante. Os depoimentos tem início previsto para as 10h. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que preside o julgamento, acatou pedido de senadores contrários ao impeachment e aceitou o horário com a condição de que não haja pausa nos depoimentos para almoço, como ocorreu nos dias anteriores.

Na quinta-feira (25), foram ouvidos o economista Luiz Gonzaga Belluzzo, o professor de direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Geraldo Luiz Mascarenhas Prado e o ex-secretário-executivo do Ministério da Educação Luiz Cláudio Costa. Antes, na quinta-feira, foram colhidos os depoimentos do procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Júlio Marcelo de Oliveira e o auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Antônio Carlos Costa D'Ávila Carvalho.
Uma das testemunhas de defesa, a ex-secretária de Orçamento Esther Dweck, foi dispensada pela defesa, após polêmica em torno da suspeição do procurador Júlio Marcelo, que de testemunha depôs como informante, depois que o advogado de defesa, José Eduardo Cardozo questionou a participação de Júlio Marcelo em uma manifestação pela rejeição das contas de Dilma, logo no primeiro dia.
No segundo dia do julgamento, ontem, a advogada de acusação Janaína Paschoal, que também é uma das autoras da denúncia que motivou o processo contra Dilma Rousseff, colocou em suspeição a ex-secretária de Orçamento sob o argumento de que a mesma foi nomeada assessora “por uma parlamentar que é uma das mais ferrenhas defensoras de Dilma”, no caso, a senadora Gleisi Hoffmann.
Bate boca
Os dois primeiros dias foram marcados por bate bocas e acusações entre senadores. Logo no início da sessão, a confusão começou quando a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) afirmou que nenhum senador ali presente tinha condições morais para julgar o afastamento permanente de Dilma.
“Aqui não tem ninguém com condições para julgar ninguém. Qual a moral do Senado para julgar uma presidente da República?”, disse. A declaração foi interrompida pela manifestação indignada de outros senadores longe do microfone, entre eles, Ronaldo Caiado (DEM-GO), que rebateu dizendo que a senadora é investigada pela Polícia Federal. Gleisi respondeu acusando: “o senhor é do trabalho escravo”, disse ao microfone. O bate-boca fez com que Lewandowski suspendesse a sessão.
As discussões se repretiram no segundo dia. O primeiro bate-boca começou quando o senador petista Lindbergh Farias (RJ) pediu a palavra e atacou o democrata Ronaldo Caiado (GO) que lhe antecedeceu. “Esse senador que me antecedeu é um desqualificado. O que ele fez com a senadora Gleisi é de covardia impressionante, dizer que tentou aliciar testemunha”, afirmou o petista
Em seguida foi a vez do presidente do senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O peemedebista começou pedindo para que os senadores reduzissem as questões de ordem repetidas, mas esquentou o clima ao lembrar da declaração de ontem, feita pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) que provocou o primeiro grande tumulto do dia. “Esta sessão é uma demonstração de que a burrice é infinita. A senadora Gleisi chegou ao cúmulo de dizer que o Senado não tem condição moral de julgar a presidente”, afirmou.
Esquentando ainda mais o ambiente e provocando a reação imediata de petistas, Renan lembrou que Gleisi e o marido, o ex-ministro das Comunicações do governo Dilma, Paulo Bernardo, foram indiciados por corrupção passiva na Operação Lava Jato e disse ter intercedido a favor deles. Os dois são acusados de receber propina de contratos oriundos da Petrobras.
“Como uma senadora pode fazer uma declaração dessa? Exatamente, senhor Presidente, uma senadora que, há 30 dias, o Presidente do Senado Federal conseguiu, no Supremo Tribunal Federal, desfazer o seu indiciamento e do seu esposo”, disse Renan.
Gleisi foi em direção a Renan afirmando ser mentira, apoiada pelo senador Lindbergh que gritava “baixaria” e que acabou sendo empurrado por Renan.
Dilma e Lula
Após o encerramento das oitivas das testemunhas, o julgamento final do impeachment terá, na segunda-feira (29), o dia mais aguardado com a presença da presidenta afastada, Dilma Rousseff que enfrentará as perguntas dos senadores.
Dilma chegará acompanhada de ex-ministros, presidentes de partidos aliados, assessores diretos e pessoas próximas a ela, como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Devem comparecer, por exemplo, os ex-ministros Aloízio Mercadante, Jaques Wagner, Patrus Ananias e Miguel Rosseto, dentre outros. Também estarão presentes os presidentes do PT, Rui Falcão, do PCdoB, Luciana Santos, e do PDT, Carlos Lupi.
Para acomodar o grupo, Renan reservou a sala de audiências da presidência do Senado e uma sala anexa com banheiro. Segundo Renan, dentro do plenário, a presidenta terá o direito de ser acompanhada por 20 pessoas e o mesmo número deverá ser garantido aos advogados de acusação, que também deverão levar convidados.
“Serão 20 pessoas. Nós vamos comprimir os jornalistas, que servirão, na prática, de separação [entre os dois grupos] e garantiremos ao outro lado o mesmo número de vagas que já garantimos para a presidenta”, informou o senador.
As restrições de espaço no plenário preocupam a direção da Casa. Os convidados de Dilma e da acusação não serão os únicos. Deputados, ex-parlamentares e assessores parlamentares também têm acesso ao plenário, o que pode provocar a superlotação do local. A imprensa, inclusive internacional, também ocupa espaço em tribuna reservada. Profissionais de imagem têm ocupado as galerias. 
Iolando Lourenço e Luciano Nascimento – repórteres da Agência Brasil
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Réus do processo da Boate Kiss vão a júri popular

Os quatro acusados de ser responsáveis pelo incêndio na Boate Kiss serão julgados pelo Tribunal do Júri. A decisão foi proferida hoje (27) pelo juiz Ulysses Fonseca Louzada, titular da 1ª Vara Criminal da Comarca de Santa Maria, cidade da região central do Rio Grande do Sul onde ocorreu o incêndio, em janeiro de 2013.
Sete jurados vão decidir se Elissandro Callegaro Spohr, Mauro Londero Hoffmann, Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Augusto Bonilha Leão são culpados ou inocentes das acusações apontadas pelo Ministério Público Estadual (MPE-RS). Spor e Hoffmann eram sócios da boate, enquanto Santos e Leão integravam a banda que se apresentava na casa na noite do incêndio. Os quatro são acusados de homicídio duplamente qualificado, consumado contra as 242 vítimas, e tentado contra mais 636 pessoas que estavam na boate.
Na decisão de 195 páginas, o juiz Louzada afirma que há indícios suficientes de que os acusados tenham agido conforme denunciado pelo MPE-RS. Ainda não há data para o julgamento do Tribunal do Júri.
O incêndio
Na madrugada de 27 de janeiro de 2013, uma festa universitária estava sendo realizada na Boate Kiss, no centro de Santa Maria. Durante a apresentação da banda Gurizada Fandangueira, um dos fogos de artifício usados pelo grupo atingiu a espuma usada para isolamento acústico da casa.
O fogo se espalhou e liberou uma fumaça tóxica, que tomou conta da boate. O incêndio causou a morte de 242 pessoas, a maioria por asfixia, e feriu 636.
O caso
Segundo a denúncia do MPE-RS, a espuma usada para isolamento acústico da Boate Kiss era imprópria, por ser altamente inflamável e não ter indicações técnicas de uso. A casa noturna também não oferecia condições de segurança e saídas de emergência, e estaria superlotada na noite do incêndio.
Os integrantes da banda foram denunciados por usar, dentro da boate, fogos de artifício destinados apenas a ambientes externos. Eles também apontaram os artefatos para o teto da casa, causando a queima da espuma acústica.
Ainda conforme a acusação, os crimes foram duplamente qualificados por crueldade e motivo torpe. A qualificadora do meio cruel refere-se ao uso de fogo e produção de asfixia nas vítimas. O motivo torpe, segundo o MPE-RS, envolve ganância dos réus, uma vez que tanto a espuma quanto os fogos de artifício usados eram mais baratos do que os objetos próprios para aquele tipo de ambiente.
O caso da Boate Kiss tem, ainda, outros cinco desdobramentos na justiça — três na esfera criminal e dois na esfera cível.
Texto: Daniel Isaia – Correspondente da Agência Brasil
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Desafio do balde de gelo financia descoberta de gene ligado à doença de Stephen Hawking

O desafio do balde de gelo conseguiu arrecadar fundos para uma descoberta científica importante: a identificação de um novo gene que contribui para a esclerose lateral amiotrófica (ELA), conhecida por ser a doença do cientista Stephen Hawking. A informação é da BBC. 
O gene descoberto é NEK1, segundo a ALS Association - que representa pessoas com ELA e outros tipos de doenças do neurônio motor.
A campanha, que estimulava pessoas a compartilharem vídeos do momento em que jogavam baldes de água gelada em si mesmas, tinha o objetivo de conseguir doações para a instituições de caridade ligadas a doenças do neurônio motor, como a ELA.
O desafio foi criticado, mas arrecadou US$ 115 milhões (mais de R$ 377 milhões) e financiou seis projetos de pesquisa.
A identificação do gene NEK1 abre caminho para que os cientistas desenvolvam uma terapia genética para o tratamento da doença.

Vivian, a bassê gigante que ‘causa’ em NY

Esta bassê está tão acostumado a ser “ampliada” no Photoshop que acabou acreditando que é mesmo um gigante. Vivian, a Dachshund não tem nem 30cm de altura ganha tamanho nas fotos feitas pelo seu dono. Mitch Boyer, que mora em Nova York. (Caters News)
image
Vivian, a Dachshund “gigante”
(Mitch Boyer/Caters News)
image
Vivian, a Dachshund “gigante”
(Mitch Boyer/Caters News)

image
Vivian, a Dachshund “gigante”
(Mitch Boyer/Caters News)
image
Vivian, a Dachshund “gigante”
(Mitch Boyer/Caters News)
image
Vivian, a Dachshund “gigante”
(Mitch Boyer/Caters News)
image
Vivian, a Dachshund “gigante”
(Mitch Boyer/Caters News)
image
Vivian, a Dachshund “gigante”, aqui no tamanho natural
(Mitch Boyer/Caters News)
image
Vivian, a Dachshund “gigante”
(Mitch Boyer/Caters News)
image
Vivian, a Dachshund “gigante”, numa versão Godzilla 
(Mitch Boyer/Caters News)

Consumidores devem ter cuidado com uso de aparelhos elétricos no inverno

O inverno começa na próxima terça-feira (21), mas muitas cidades já registram temperaturas baixas desde o início do mês. Nessa época, é comum que aumente o uso de aparelhos elétricos como aquecedores, secadores e também que os banhos fiquem mais quentes, o que pode refletir em um aumento na conta de luz dos consumidores.
O maior cuidado deve ser com o uso do chuveiro elétrico, que é um dos maiores gastadores de energia dentro de uma residência, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica. Na posição inverno, o consumo do chuveiro por uma hora fica entre 4,5 e 6 quilowatts-hora (kWh). Na posição verão, na qual a água fica um pouco mais fria, o consumo é entre 2,10 e 3,5 kWh. Entre as dicas da Aneel para diminuir o consumo de energia com o chuveiro elétrico estão reduzir o tempo do banho e fechar o registro na hora de passar o sabonete ou xampu.
O tempo frio e úmido também faz com que o uso da secadora de roupas aumente nas residências. Os equipamentos consomem entre 120 kWh e 150 kWh por mês, se utilizados durante uma hora por dia. Neste caso, a dica é e aproveitar ao máximo o calor do sol para a secagem das roupas e  acumular uma maior quantidade de roupas para secar de uma única vez, para que o uso da secadora seja menos frequente.
Os secadores de cabelos, também mais usados no inverno, gastam entre 1 e 1,5 kWh a cada hora de uso. Se usado por cinco minutos durante todos os dias, o aumento no consumo mensal será entre 2,5 kWh a 3,75 kWh.
Os aquecedores elétricos também são grandes consumidores de energia. O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) alerta que a compra de um modelo deve ser observada e pesquisada cuidadosamente pelo consumidor, além de atentar para a segurança do equipamento, para evitar acidentes. De acordo com o Idec, o consumo desses aparelhos pode variar entre 120 kWh e 228 kWh por mês, dependendo do tipo de aquecedor – irradiador, de gabinete, a óleo e split.
A Aneel recomenda que, ao comprar um eletrodoméstico, o consumidor prefira aqueles com o selo do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), que indica quais produtos são mais econômicos. Os produtos que apresentam notas A, ou B possuem uma maior eficiência energética, ou seja, consomem menos energia que as que indicam notas D ou E. Também é preciso ficar atento às condições e á vida útil dos aparelhos eletrodomésticos.

Da Agência Brasil

Conselho de Ética do Senado arquiva pedido de cassação de Romero Jucá

O presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto Souza (PMDB-MA), arquivou na terça-feira (7) a representação contra o senador Romero Jucá (PMDB-RR) apresentada pelo PDT na semana passada.
João Alberto se baseou em parecer apresentado pela advocacia do Senado recomendando o arquivamento da representação por erros formais, com base no Código de Processo Penal e em resolução do próprio Conselho.
Segundo a decisão, não foram apresentados os documentos que deveriam instruir o processo disciplinar nem o rol de testemunhas a serem ouvidas e ainda as provas que se pretenderia produzir na investigação do conselho.
Na última semana, o senador Telmário Mota (PDT-RR) apresentou inicialmente uma denúncia contra Jucá por causa dos áudios divulgados pela imprensa nos quais Jucá negociava um “pacto nacional” para estancar a “sangria” provocada pela Operação Lava Jato. O caso levou à saída de Jucá do Ministério do Planejamento e sua volta ao Senado.
Em seguida, ao tomar conhecimento de que a denúncia não poderia resultar em cassação do mandato, Mota reapresentou o pedido na forma de representação do PDT, assinada também pelo presidente do partido, Carlos Lupi. No entanto, segundo a decisão de hoje de João Alberto hoje, os demais documentos necessários para a instrução do processo não foram apresentados.
Nova denúncia
Hoje de manhã, Mota voltou a apresentar uma denúncia contra Romero Jucá no Conselho de Ética. O pedetista se queixa da postura indecorosa do colega que, em declarações à imprensa nos últimos dias, teria ofendido sua honra e a de sua esposa e o chamado de bandido.
A nova denúncia de Telmário Mota, que pede a abertura de um “processo disciplinar”, ainda não foi avaliada pelo presidente do Conselho de Ética.
Da Agência Brasil
Foto: AFP

Fotógrafo flagra peixe vivendo dentro de água-viva

O fotógrafo Tim Samuel, nascido e radicado na Austrália, flagrou na última semana uma cena realmente impressionante durante um mergulho na região de Byron Bay, no sul de seu país. Lá, ele viu um peixe vivendo dentro de uma água-viva.
A imagem, divulgada por uma página chamada Discover Ocean, teve mais de 20 mil curtidas em poucos dias.  
“Nunca vi nada parecido. Achei esse peixe preso em uma água-viva. Ele estava preso, mas conseguia controlar para onde a água-viva se movia”, explicou Samuel quando publicou sua foto no Instagram, na última sexta (3).
Na verdade, trate-se de um fenômeno não tão incomum e muito interessante. Muitos peixes pequenos e que vivem solitários, quando ainda jovens, usam essa artimanha para se proteger de possíveis predadores.
“É difícil dizer se ele foi atingido ou se o peixe está feliz por estar lá,” comentou o professor Ian Tibbetts, do Centro de Ciência Marinha da Universidade de Queensland, em entrevista ao Australian Geographic. “Porém, pela descrição do fotógrafo, o meu palpite é que ele está provavelmente muito feliz de ser protegido ali”.
Que coisa, não? Pois é, o mundo realmente é dos espertos…

Ele corta um tomate e enterra num vaso . Alguns dias depois , o que se vê é algo que todo mundo deveria fazer em casa

Ao invés de fazer isso, transforme-os em mudas e os faça crescer novamente em apenas alguns dias. Nesse vídeo, você aprende como cultivar tomates usando nada além de um vaso, um pouco de terra, um tomate e, claro, uma ajudinha da natureza!
Jamais ouse jogar tomates fora se eles estiverem passados! Não depois de você ver isso aqui.
Gente, sério, eu estou chocado com essa dica preciosa! Em apenas 7 dias já é possível perceber 50 a 60 mudas de tomates crescendo.
Dá uma olhada:
(Via agencia de noticia)

Total de Visualizações

Anuncios !!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Noset News
Todos os direitos reservados © 2016