Image and video hosting by TinyPic

Placas padrão Mercosul: credenciamento por Denatran preocupa empresários

Fabricantes de todo o Brasil estão se mobilizando para que o credenciamento das novas placas no padrão Mercosul seja feito pelos órgãos estaduais de trânsito e não pelo Denatran, conforme previsto na Resolução nº 510/14 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Entraves burocráticos podem prejudicar o setor e cidadãos na emissão dos produtos.
A Associação Nacional dos Fabricantes de Placas Veiculares (Anfapv) pediu apoio à Associação Nacional dos Detrans (AND) para a adoção de critérios mínimos para
confecção e venda de placas em todo país. “Os Detrans têm interesse em ouvir os segmentos que prestam serviços aos motoristas e proprietários de veículos. É importante manter o diálogo para que, de forma conjunta, possamos sugerir inovações que atendam aos quesitos de segurança no controle de origem e destino das placas”, explica o presidente da AND, Marcos Traad.
“Hoje, cada Estado adota um procedimento diferente, na tentativa de evitar roubos, falsificações e clonagens. Discutir o assunto pode trazer avanços na segurança e identificação veicular, inclusive com a troca de experiências que deram certo”, completa ele.
O assunto foi discutido durante o Encontro Nacional dos Fabricantes de Placas Veiculares (Enplaca), em Belo Horizonte, Minas Gerais. O presidente da Anfapv, Cláudio Roberto Martins, destacou que a









falta de um modelo procedimento de confecção e distribuição das novas placas é uma das preocupações. “O que nós queremos não é só uma placa padrão, mas uma padronização de critérios. O Brasil está se adaptando para adotar a placa comum ao Mercosul, mas sem critérios na fabricação ela já vai começar sem nenhum tipo de controle. A placa vai ser branca, com tarja azul, isso todos sabem. Mas, como será o processo de produção? Quem vai produzir? Como vai ser a comercialização?”, questiona.
“Nosso pedido é que a AND leve nossas considerações ao Denatran. A Associação é uma entidade importante e tem se colocado a favor do diálogo. Acreditamos que só assim chegaremos a resultados realmente satisfatórios para os cidadãos”, destaca o presidente da Associação dos Fabricantes de Placas do Paraná, Juarez Borges Júnior.
Placa Padrão MercosulO Conselho Nacional de Trânsito (Contran) prorrogou em maio, por meio de portaria, o prazo de adoção do novo modelo de placas veiculares no padrão Mercosul. A norma estica para 2017 o início dos emplacamentos e também suspende o credenciamento das empresas que seriam responsáveis pela fabricação das placas.
A data limite estipulada pela resolução revogada era janeiro de 2016. A partir das novas regras, a obrigatoriedade passa para 1º de janeiro de 2017 para veículos novos, transferidos de municípios e com alteração na categoria.
De acordo com o Contran, a suspensão do credenciamento das empresas fabricantes das placas é necessário para reavaliar os requisitos necessários estabelecidos pelo Mercosul e melhor adequação das empresas.
Combate à clonagemO novo modelo de placas, segundo o Denatran, vai dificultar clonagens de veículos e a falsificação ou produção clandestina. A clonagem de veículos no Brasil é elevada e, em muitos casos, é utilizada por quadrilhas especializadas em roubos de veículos ou por proprietários de veículos que utilizam o recurso para fugir de multas de trânsito. A nova placa também vai dar mais rigor ao controle do transporte de cargas e de passageiros.
Com melhor leitura pela fiscalização eletrônica, a nova placa terá a combinação alfanumérica de quatro letras e três números. O fundo será branco e a margem azul, com o emblema do Mercosul à esquerda.  A bandeira nacional será à direita e o nome do país, no centro. Para dificultar a falsificação, as placas terão linhas onduladas e marcas d’água com a logo do Mercosul gravadas na película refletiva. A cor da combinação alfanumérica vai categorizar os veículos. Particulares terão a cor preta, comercial, vermelha; oficial, azul; diplomático, dourado; e de colecionador, prateado.
O novo modelo terá controle nacional para identificar a origem da placa para inibir a clonagem do veículo.  No Brasil, o modelo adotado possui uma tira holográfica à esquerda, ao lado um código bidimensional, com informações do fabricante e o serial da placa. No lado direito, será colocada a bandeira da unidade da Federação com o Brasão do Município. Não será obrigatório trocar as placas do padrão Mercosul para veículos já em circulação antes de 2017.
As novas placas serão fabricadas por empresas credenciadas pelo Denatran, que serão responsáveis pelo controle do uso. Hoje, as placas veiculares são produzidas sem controle e vendidas por empresas credenciadas pelos departamentos estaduais de trânsito.

Gostou? Deixe seu comentário AQUI!

0 comentários Sobre “Placas padrão Mercosul: credenciamento por Denatran preocupa empresários”

Postar um comentário

Total de Visualizações

Anuncios !!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Noset News
Todos os direitos reservados © 2016